Blog Cisco Brasil
Compartilhe

Qual é a maturidade digital nas empresas brasileiras?


30 de October de 2018


O digital está na mente dos executivos brasileiros. Não poderia ser diferente. O avanço das tecnologias imprime novas formas a empresas e a sociedade brasileira. Mas qual é o estágio da transformação nas organizações do país?

Para responder essa pergunta, realizamos uma dinâmica de Design Thinking em nosso estande, e recebemos nada menos do que 417 insights. Quatro pontos foram avaliados e, com base nas respostas, montamos um relatório que analisa o tema.

Um terço dos participantes da dinâmica acredita que digital abrirá oportunidades de negócio. De fato, temas como multicloud, big data, mobilidade, automação de processos e inteligência artificial já ajudam organizações a serem mais efetivas. O amadurecimento desses conceitos terá impacto preponderante no futuro próximo.

Um dado interessante foi o número de pessoas que acreditam que o digital traz uma oportunidade real de transformar para melhor a vida das pessoas. Não foram raras frases atribuindo o conceito como uma maneira de evolução para se viver mais e melhor, o que se alinha com as inovações sistêmicas trazida pelos dispositivos inteligentes conectados que chegam a praticamente toda área do conhecimento.

Há também quem aponte a digitalização como uma oportunidade de modificar para melhor a sociedade ao nosso redor a partir de inovações incrementais e constantes, que ajudem os organismos sociais atuarem de maneira mais eficiente e simples.

Essa visão é expressa por insights que apontam para a possibilidade de aproximação e conexão entre iniciativas digitais e analógicas, que passa a encarar um contexto onde as fronteiras que dividem esses dois  mundos, que passam a conversar de maneira mais integrada e fluida. Outros pontos destacados é o caráter disruptivo do digital como mecanismo de quebra de barreiras e paradigmas. 

O desafio de transformar culturas

Analisando os 147 insights indicados como o desafio da transformação digital, percebe-se uma preocupação de incluir a agenda digital na cultura organizacional. Pessoas, liderança e mindset apareceram como destaques quando as pessoas pensam nos desafios do digital. Os indicadores corroboram com a visão vindas de consultorias e especialistas de que a pessoas tem papel fundamental nos processos de digitalização de negócios.

O segundo maior desafio apontado toca justamente a evolução, ajuste e desenvolvimento de novos modelos de negócios, mostrando que aproveitar a oportunidade digital é uma questão de sobrevivência.

Escolher tecnologias adequadas e integrar recursos para habilitar a inovação tem sido outro desafio para  participantes da dinâmica. Podemos compreender que isso tem relação direta com o volume e informações e estágio de amadurecimento dos projetos, que agora começam a ganhar corpo.

Gerar valor a partir de uma visão centrada nos clientes, atender requisitos de segurança e obter orçamento para iniciativas de digitalização sobre os outros três temas que têm desafiado as organizações.

Processos ágeis e tecnologias invisíveis

Um componente crucial na transformação digital toca a organização dos processos empresariais, que na visão dos participantes devem ser mais simples e ágeis para acompanhar o ritmo do digital. Com isso, vem também a necessidade de definir novas métricas e indicadores que ajudem a avaliar os esforços de digitalização.

No campo da tecnologia para habilitar a digitalização, chama atenção a percepção de que a “TI passa a ser invisível”, como colocaram participantes da dinâmica. Tal visão tem pleno fundamento quando avaliamos a ideia de que componentes tecnológicos passam a ser intrínsecos a operação e produtos das organizações.

O fato de ser mais pervasiva e ubíqua tem vínculo também com a ideia de que a tecnologia deve simplesmente funcionar, de maneira mais inteligente, mais automatizada, com alto desempenho e elevados níveis de segurança.

Caso queria saber mais detalhes sobre os insights, acesse esse e-book.

Deixe seu comentário